Olimpíadas de Inverno: Nicole Silveira está perto de fazer história
Wander Roberto/@ANOC Olympic

Olimpíadas

Olimpíadas de Inverno: Nicole Silveira está perto de fazer história

Publicado em 11/02/2022 08h37

Em busca de se tornar a atleta brasileira mais bem colocada numa Olimpíada de Inverno, a gaúcha Nicole Silveira deixou encaminhada sua classificação à final do skeleton em Pequim 2022 na madrugada desta sexta-feira. A slider ficou no top 14 após as duas primeiras descidas das eliminatórias, com o tempo agregado de 2min05s53. Na manhã de sábado (12), serão disputadas a terceira bateria, que define as 20 finalistas, e a quarta descida, que decide o pódio, no Centro Nacional de Esportes de Pista de Yanqing.

No skeleton, as sliders fazem quatro descidas no percurso olímpico em dois dias consecutivos, sendo duas baterias por dia. Os tempos de todas as baterias são somados e o menor tempo agregado vence. Só as 20 atletas melhor classificadas ao final da terceira bateria disputam a descida final. Com 25 atletas inscritas, Nicole Silveira precisa ficar à frente de pelo menos cinco para garantir presença na decisão.

A melhor marca de uma brasileira em uma Olimpíada de Inverno foi o nono lugar conquistado por Isabel Clark no snowboard cross em Turim 2006. Na 14ª posição, Silveira está 66 centésimos atrás da oitava colocada, a americana Katie Uhlaender, e a 33 centésimos do nono lugar, ocupado pela canadense Mirela Rahneva.

Nicole foi logo a segunda slider a competir na primeira bateria. Ela bateu na parede do percurso duas vezes, mas ganhou boa velocidade – chegou a atingir 122,7km/h – e marcou 1min02s58 na primeira descida. Foi a 12ª melhor volta da bateria.

Sua namorada, a belga Kim Meylemans, fez uma boa primeira metade de prova e terminou 23s à sua frente, com 1min02s35. A volta a deixou empatada com a tcheca Anna Fernstaedt na sexta posição. A melhor volta inicial foi Mirela Rahneva, com 1min02s03 – ela atingiu 127,4km/h no ponto mais veloz.

A pista estava mais lenta na segunda bateria – apenas duas atletas conseguiram melhorar seus tempos na segunda descida. Nicole não largou muito bem, mas fez um trajeto seguro, priorizando a manutenção da linha para evitar batidas nas paredes. Ela só acertou a parede na chegada. Seu tempo foi 33 centésimos acima da primeira volta, 1min02s95. Meylemans também piorou seu tempo em 0s57 e caiu fora do top 10, terminando em 11º.

A liderança ao final das duas primeiras baterias ficou com a australiana Jaclyn Narracott, que, mesmo piorando levemente seu tempo na segunda volta, terminou o dia com um agregado de 2min04s34 – Nicole Silveira está 1min19s atrás. As alemãs Hannah Neise (2min04s55) e Tina Hermann (2min04s57) completariam o pódio se a competição terminasse nesta sexta. Rahneva, líder após a primeira bateria, fez uma segunda volta desastrosa, de 1min03s14, e despencou à nona posição.

Confira a classificação completa do skeleton após as duas primeiras baterias:

Classificação no skeleton após as duas primeiras baterias